PAVILHÃO DO CANTE

PAVILHÃO DO CANTE, DAS ARTES E DOS OFÍCIOS

O Ser, o Fazer e o Sentir Alentejanos

O Pavilhão do Cante, das Artes e dos Ofícios reúne o ser e o fazer alentejanos. É um espaço de emoções, uma homenagem à terra e a todos os que com o seu engenho fazem arte. Uma Mostra de Artesanato e Ofícios Tradicionais, um mote para a partilha de ecos e sonoridades, mas também de ideias e formas renovadas de viver e sentir o Alentejo.

Um local inclusivo. Um ponto de encontro e de reencontros. Sem preconceitos. Da diversidade do campo e das diferentes expressões da cidade, numa paleta de todas as cores.

É um projeto com um forte cariz cultural, um regresso às raízes que cruza tradição e modernidade, memória e futuro.

MUSEU VIVO DE ARTES E OFÍCIOS TRADICIONAIS

São artesãos e artistas a trabalhar ao vivo. São guardadores de segredos, contadores de histórias, alquimistas, engenhosos e artistas. Da terra fazem arte, da natureza sustento e da memória fazem talento.

O passado mora nos seus corações e o futuro nas suas mãos. Nos nós dos seus dedos e na sensibilidade do seu tato, reside o amor à terra, ao ser e ao fazer alentejanos.

São séculos e séculos de mestria aqui. Um Museu Vivo. A valorização das Artes, a defesa dos Ofícios e o orgulho na Tradição. Um alerta, um desabafo e um grito para os sérios desafios que a sua continuidade enfrenta.

CANTE ALENTEJANO

A mais forte e identitária expressão musical alentejana corre nas veias deste espaço. O cante alentejano e a sonoridade das vozes de Grupos Corais Alentejanos vão marcar o tom, abrir o coração e molhar as gargantas dos visitantes.
Será informal e marcará presença sempre que o homem queira, a alma sinta e a voz permita.

Mostra-te Alentejo

Mostra de Arte Contemporânea de Artistas Bejenses e de Mais Além

Leva-nos mais longe, mostra-nos uma forma contemporânea de viver esta imensa planície.

São olhares, imagens, ilustração, escultura, cerâmica e diferentes expressões de artistas conceituados que têm alargado as fronteiras criativas do Alentejo. São Bejenses e Alentejanos, de alma ou coração.

Artistas convidados:
Heitor Figueiredo
Pedro Fernandes
Sofia Almeida
Claudia Dias
Margarida de Araújo
Susa Monteiro
Paulo Monteiro
Ana Lúcia
Paula Estorninho
Inês Rosado

Imagens da Herança no Tempo

ENTIDADES PROMOTORAS

Imagens da Herança no Tempo

Imagens da Herança no Tempo

CULTURA E NATUREZA A PRESERVAR NO BAIXO ALENTEJO

2018 Ano Europeu do Património

Esquecemo-nos, tantas vezes, que nós somos os criadores da cultura!
Que criámos e construímos casas, palácios, fortificações e igrejas, que ainda hoje perduram passados tantos, tantos, séculos.

Esquecemo-nos que inventámos músicas de danças. Esquecemo-nos que a terra e a água que corre nos saciam a sede e a fome.
Por vezes temos de nos lembrar que o património são os nossos olhos, a nossa alma e o nosso orgulho.

O património do Baixo Alentejo, nas suas várias vertentes: do material ao imaterial, do natural ao cultural.
Encontramo-lo na arquitetura, na gastronomia, na terra humanizada e nos campos cultivados, e no nosso mais profundo âmago, o nosso Cante.

É o Alentejo como pano de fundo. Uma imensidão de paisagens, monumentos, costumes e emoções que esta planície inspira.
Uma viagem de reencontro com a nossa essência, um regresso às origens que nos acompanham até hoje.
Nas imagens revelam-se as diferentes formas como cada um olha ao seu redor e capta a riqueza do nosso património.

PROGRAMA

Todos os dias | 11h00 – 24h00
- Museu Vivo de Artes e Ofícios Tradicionais
- Exposição – PATRIMÓNIO IMAGENS DA HERANÇA NO TEMPO: Cultura e Natureza a preservar no Baixo Alentejo - 2018 Ano Europeu do Património